9 de dezembro de 2012

Signo: Trabalho!



Meu pai tem uma virtude e incontáveis defeitos.
Ele sempre trabalhou. Nunca tirou férias; quando aposentou tratou de arrumar outro emprego, onde passou quatorze anos.
Não contente e desempregado ele se reinventou e passou a vendedor externo.
A única coisa que o fez diminuir o ritmo foi um câncer.
O trabalho dignifica o homem, porém de forma ininterrupta o afasta da família.
No fim a família que foi mantida pelo dinheiro e regada com as lágrimas da ausência, tem pouco ou nenhum laço emocional.
Quando penso no sentido das férias sei o que são dias importantes e que talvez eles tivessem dado a nós o que o dinheiro nunca trouxe: um homem que nunca conhecemos e que nunca nos conheceu.
Conforto, presentes e tudo o que o dinheiro compra não paga o custoso preço da ausência.
Hoje não apenas os homens trabalham; mulheres também; o custo de vida está cada dia mais alto, então é necessário.
O que pode e deve ser diferente da minha e de outras famílias é o tempo.
Arrumem tempo, pois o dinheiro não compra nem paga tudo, há coisas sem preço e geralmente são as mais importantes e as primeiras que perdemos por conta da ausência.


Elaine Spani
Primavera de 2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentar não tira pedaço, só arranca palavras.rs