7 de novembro de 2010

NOVOS VALORES

Gente, eu não sei o que está acontecendo com as pessoas. De uns tempos para cá ninguém mais quer saber do outro a não ser que seja por fofoca.
Isto é triste, estamos vivendo no EGO, esquecendo que o próximo pode estar bem perto.
Não é fácil demonstrar sentimentos; se você é afetivo corre o risco de parecer piégas.
Como já disse alguém o amor anda meio fora de moda.
Mesmo assim eu quero deixar aqui o meu protesto: O AMOR É TUDO!
Pensa bem, se não houvesse amor a começar pelo amor próprio, não faríamos nada, nem sair da cama ou tomar um banho.
Pensando no próximo, se não houvesse amor, haveriam ainda mais guerras.
Quero muito que cada pessoa pare um pouco diante da própria pressa e se abrace. Sinta como é bom o toque, agora abrace alguém.
O benefício do abraço é algo raro que cura muitos males, experimente abraçar e ser abraçado.
Distribua abraços, mesmo que você pareça louco, logo muitos irão sorrir e quere te abraçar sem você pedir.
Há coisas que não tem preço, sei que há novos valores, mas na maioria das vezes não há nada de errado com os antigos.
Faça duas pessoas felizes hoje. de um abraço!!!!

Elaine Spani
07/11/2010

25 de setembro de 2010

QUASE INVERNO

Eu vi um velho
E dentro dele, um moço
E nos olhos deles,
Um menino.

Todos tinham vivido
Todos contavam histórias
O menino sonhava o moço
O velho se via menino.

Nem moço, nem menino
Nenhum falava do velho
E o velho perdia cores
O menino força; o moço amores.

Eu vi o velho
Rir com o menino
E correr feito moço
Hoje tudo é outono.

Elaine Spani

22 de junho de 2010

AUTO AJUDA

Curioso ler livro de auto ajuda. A primeira coisa que me vem a cabeça é: será que ele ajudou a quem o escreveu?
Qual o sentido da auto ajuda para o escritor? satisfação pessoal por ter ajudado a si? Ajudar os outros através daquilo que aprendeu? Ou uma visão bem comercial como: ser ajudado pela venda do livro, o que seria outra forma de ajuda?
Não sei... fica aqui a questão: livro de auto ajuda, ler ou não?
Afinal a ajuda é para quem mesmo?!


Elaine Spani
23/06/2010

13 de maio de 2010

PERDAS

Na vida temos muitas perdas, uns perdem mais outros menos.
Mas não há aquele que não tenha perdido nada.
Quando perdemos vem a sensação de que não vamos suportar, mas sempre superamos as perdas.
Há perdas pequenas e perdas incomensuráveis, para as simples, colo ou substituição, para as que não tem preço, atenção.
Uma perda não assistida pode levar a outra.
Então seja lá o que foi que você perdeu, ou vai perder, saiba que há muitas pessoas que cruzarão seu caminho para melhorar e talvez até suavisar essas faltas.
Sem contar que você pode ser essa pessoa na vida de alguém que precisa porque acabou de perder, algo ou alguém.
Não espere mais; se perdeu que te encontrem, se perderam que você os encontre.

9 de maio de 2010

ARROGÂNCIA

A arrogância morre da mesma maneira que vive: sozinha, sem que ninguém lhe estenda os braços.

Elaine Spani

8 de maio de 2010

CORRE-CORRE

A correria do dia a dia deixa todo mundo sem tempo.
Ninguém mais parece ter tempo para coisas simples como um telefonema, ou uma conversa na rua com um conhecido.
A coisa anda está tão feia que hoje uma garrafa de coca-cola passou por mim e também rolava vazia e apressada.
Pensei: - "vazia e apressada"... quantos de nós não estão como aquela garrafa? Vazios e apressados...
O mais engraçado é pensar que a garrafa talvez fosse chegar mais longe do que muita gente; ela pode ser reciclada. Quantos de nós se recicla?